Alquimia dos Aromas

ALQUIMIA DO CHEIRO E  MAGIA DOS PERFUMES 
Ervas, plantas e cascas de árvores se transformam em envolventes perfumes, usados para seduzir, invocar os deuses e restabelecer a saúde. Aqui, você vai conhecer todo o poder de alguns aromas.
Uma das coisas mais importantes que devemos lembrar é que, dos cinco sentidos, o mais difícil de controlar é o olfato. Você pode não usar o paladar, recusando-se a provar algo; pode evitar a audição, tampando os ouvidos; pode evitar a visão, fechando os olhos; pode evitar o tato, não tocando em algo; mas, deixar de usar o olfato, ou controlá-lo o tempo todo como é possível fazer com os outros sentidos, é algo que torna-se difícil.
O perfume é usado há milênios para o bem-estar do corpo, a atração sexual, a invocação de divindades e a cura de doenças. Os antigos hebreus e os hindus conheciam os poderes mágicos e práticos dos perfumes e acreditavam que a cada um correspondia um aroma. Por isso, quando faziam invocações, queimavam incensos e folhas de plantas aromáticas. Esse costume é observado até hoje em vários rituais religiosos. Em cultos fúnebres muçulmanos, por exemplo, as mulheres queimam incenso com benjoim, madeira de aloés, sândalo e patchuli, por acreditar que a alma do morto se eleva ao céu junto com a fumaça dessa mistura. A palavra perfume, aliás, derivada do latim, significa "através da fumaça".
Na forma de incenso, óleo essencial ou perfume, você pode usar os aromas para atrair a sorte, seduzir e conseguir equilíbrio espiritual e emocional. Escolha entre as essências apresentadas a seguir a que mais serve aos seus objetivos ou aquelas ligadas à sua personalidade astrológica. E faça do ato de perfumar-se um momento mágico!
Signos e seus Perfumes:
Áries- cedro, tabaco; Touro- rosa, violeta; Gêmeos- absinto, sândalo; Câncer- cedro, murta; Leão- cânfora, olíbano; Virgem- estoraque, narciso; Libra- jasmim, rosa; Escorpião- benjoim, cipreste; Sagitário- canela, cedro; Capricórnio- mirra, olíbano; Aquário- gálbano, olíbano; Peixes- patchuli, violeta.
 
A seguir, algumas essências e suas virtudes:
 
ABSINTO: É uma erva originária da Europa Central e Meridional. No Século XV, na Inglaterra, os magos inventaram uma poção mágica com o óleo extraído do absinto, que garantia força aos amantes, e a erva ficou ligada ao amor. Seu perfume é ideal para pessoas que buscam harmonia, inspiração, amor e intuição.
BENJOIM: É uma goma-resina extraída de plantas originárias da Tailândia e da Sumatra. O benjoim é usado como incenso em cultos budistas e hindus. Indicado para favorecer a conquista, o afeto, o talento artístico, o idealismo, o amor, a sensualidade e o triunfo. Além disto, alivia o cansaço mental e o desgaste emocional.
CANELA: Até 1776, a árvore da qual a canela é extraída era encontrada em estado selvagem na natureza, no leste da Índia. Hoje é cultivada e sua casca destilada no Ceilão, Índia, Cochinchina, Sumatra, Birmânia, Indochina e Indonésia. O óleo processado nos Estados Unidos e na Europa é de melhor qualidade. A planta e sua essência estão ligadas ao Sol; por isso seu perfume traz contentamento, energia, expansão e jovialidade.
CÂNFORA: Sua planta é cultivada basicamente em Taiwan, China e Japão. Usada na composição de sabonetes, cosméticos, incenso e produtos medicinais, a cânfora já era conhecida dos alquimistas medievais e usada em bálsamo como relaxante muscular. Ela é indicada para a realização de experiências psíquicas e místicas, trazer inspiração, melhorar a memória e o discernimento, favorecer a meditação e a abertura do inconsciente coletivo.
CEDRO: A árvore é cultivada no Oriente e no Ocidente. Os egípcios consideravam a madeira do cedro imperecível e achavam que ela preservava corpos humanos. Por isso, a utilizavam em caixões e injetavam o seu óleo em cadáveres durante o processo de mumificação. A madeira era usada também como incenso nos templos e o óleo em cosméticos refinados. Essa essência estimula o entusiasmo, a capacidade crítica, a independência, o otimismo, a sabedoria e a liderança.
CIPRESTE: Originária do Mediterrâneo Oriental, essa árvore é cultivada na Europa e na África. Seu óleo é usado nos cultos vodus para curar doenças e atrair a sorte e o dinheiro. Não há um perfume de Cipreste, mas o seu óleo entra na composição de fragrâncias verdes. Esse aroma facilita a concentração, a firmeza e o equilíbrio da lógica com a perfeição.
ESTORAQUE: Trata-se de uma goma-resina tirada da "Liquidambar Orientalis", família das hamamélis, nativa da Anatólia e da Ásia Menor. Outra variedade da mesma planta cresce nos Estados Unidos, México, Honduras e Guatemala. Era um dos aromas mais valorizados da Antigüidade e queimado como incenso em templos. O estoraque favorece a comunicação, o humor, o humanitarismo, a sorte, a capacidade de observação e da ordem.
GÁLBANO: Retirado de plantas como a umbelífera e da família do funcho, o gálbano é citado na Bíblia. Seu aroma é descrito como muito agradável no Eclesiastes. Esse perfume estimula a confiança, a harmonia, a paciência e favorece a cura, a iniciação espiritual e o conhecimento interior.
HORTELÃ: O óleo do hortelã extraído da "Mentha Spicata", planta nativa da região mediterrânea européia, é usado em perfumes verdes. Era conhecido na Grécia Antiga. Em Atenas, as pessoas os esfregavam nos braços, possivelmente por suas qualidades desodorizantes. Nos livros de vodu consta que o seu óleo anula feitiços malígnos. Perfumes com hortelã favorecem a compreensão, decisão, ordem, integridade e consciência ecológica.
JASMIM: Originária da Índia e hoje cultivada em quase todas as zonas temperadas, essa flor é valorizada há muitos séculos. Na antiga Pérsia, era considerada sagrada e na China suas pétalas enfeitam as fachadas das casas durante comemorações do Ano Novo, além de entrar no preparo de chás. Os chineses também a usavam para purificar os quartos de pessoas doentes. A essência dessa flor está ligada à cura, afetuosidade, maternidade, rejuvenescimento, sedução, devaneios e sentimentos.
MIRRA: Goma resina originária da babilônia, ela é encontrada em vários arbustos da Somália, Etiópia, Sudão e do sul da Arábia. A mirra estava entre os presentes dos Reis Magos ao Menino Jesus. Era muito usada no Oriente Próximo e no Mediterrâneo na fabricação de incensos, perfumes, remédios e também no embalsamamento. Hoje o seu óleo é utilizado em perfumes florais e orientais. Ela é indicada para estimular a compreensão, a estabilidade e a fertilidade.
MURTA: A planta, um arbusto, é cultivada em várias regiões mediterrâneas, no sul da Inglaterra e em alguns pontos dos Estados Unidos. Os povos antigos consagravam a murta à Vênus porque a consideravam símbolo do amor. Receitas do folclore grego e do romano para a pessoa que quer conservar amor e juventude recomendam o consumo de chá de murta de três em três dias. Usar perfume com murta propicia boa sorte, harmonia, amor, luxo, casamento, riqueza material, confiança, imaginação criativa e sabedoria.
NARCISO: Planta ornamental na América do Norte, no sul da França e na Holanda, seu nome não vem de Narciso, o jovem grego que gostava de admirar o próprio reflexo na água de um lago (e daí surgiu a palavra Narcisismo), mas do grego "narkao", que significa entorpecer, pois tem propriedades narcóticas e venenosas. Seu óleo era muito usado pelos árabes que o consideravam afrodisíaco e bom também para a cura da calvície. O narciso estimula a fidelidade, inteligência, paciência, silêncio, união dos opostos, retraimento, meditação e elevação.
OLÍBANO: Encontrado na Índia e em alguns países da África, o olíbano é uma goma-resina. Foi muito utilizado na antigüidade para a confecção de incensos. Segundo o historiador grego Heródoto, o olíbano era queimado na Torre de Babel. Hoje, ele é usado na Igreja Católica. Além disso, entra na composição de perfumes orientais, cítricos e florais. O aroma está associado a equilíbrio, beleza, devoção, iluminação, meditação, renascimento, verdade, santificação e êxtase.
PATCHULI: A maior parte do óleo de patchuli encontrado à venda é das Filipinas e Indonésia, de onde se origina a planta da qual ele é extraído. A essência ficou conhecida em 1820 na Grã-Bretanha, quando passou a ser colocada em xales indianos. No Oriente, ele ainda é usado para perfumar roupas de cama e mesa e com suas folhas se fazem sachês. Ele é indicado para estimular a vitalidade e purificar os impulsos animais, como desejo sexual e fome.
ROSA: A mais famosa das flores, cantada em verso e prosa por autores de todos os tempos, está ligada a Vênus e ao amor. Acredita-se que ela tenha surgido na Pérsia e conquistadores árabes a tenham levado para outras partes do mundo. Já no ano de 330 a.C. os gregos usavam perfumes de rosa e até acreditavam em seu poder de curar o cansaço mental. O perfume de roas estimula a conquista, afeto, beleza, artes, inspiração, romance, sentimentos e nobreza.
SÂNDALO: Madeira originária do leste da Índia, Sri Lanka e Indonésia, sua árvore é cultivada há milhares de anos. Seu aroma já era mencionado em escritos védicos datados de 5 a.C. Os Orientais usavam o seu óleo para embalsamar príncipes e construir portões de templos. Os hindus acreditavam que seu aroma purifica o corpo e a alma e por isso o utilizavam na comemoração do Ano Novo (12 de Abril) e nos casamentos. Seu aroma está associado a afeto, vivacidade, grandeza, amor, sensualidade e triunfo.
TABACO: Essa planta tem origem nos Estados Unidos, mas hoje é cultivada em diversos países. Inicialmente era queimada nas cerimônias dos índios norte-americanos e foi introduzida na Europa pelos ingleses. Ela era usada para desinfetar e prevenir infecções e até mesmo crianças a fumavam porque se acreditava que o fumo evitava as pestes. Atualmente, o tabaco entra na composição de perfumes orientais e nos masculinos. O aroma leva a pessoa a ter coragem, firmeza, disciplina, vitalidade, poder e autocontrole.
VIOLETA: Na antigüidade, os gregos acreditavam que essa flor, que cresce em diversas regiões temperadas e tropicais, servia para acalmar a raiva. Já os celtas a utilizavam em cosméticos ou para combater espíritos maléficos. Também os adeptos do vodu dizem que seu óleo é bom para quebrar o poder dos encantos e afastar espíritos malígnos. Um perfume de violeta ajuda a pessoa a espantar seus fantasmas pessoais.
 
Indicação de Leitura
"A Utilização Ritual e Mágica dos Perfumes"
Richard Alan Miller e Iona Miller,
Selo Nova Era da Editora Record.
 
 
 
Anuncios

Acerca de pacha creaciones nómadas

Una mujer y otras tantas más, artesana, madre, abuela, licenciada en letras y literatura española, una libertaria feminista en permanente revolución...
Esta entrada fue publicada en Uncategorized. Guarda el enlace permanente.

Responder

Introduce tus datos o haz clic en un icono para iniciar sesión:

Logo de WordPress.com

Estás comentando usando tu cuenta de WordPress.com. Cerrar sesión / Cambiar )

Imagen de Twitter

Estás comentando usando tu cuenta de Twitter. Cerrar sesión / Cambiar )

Foto de Facebook

Estás comentando usando tu cuenta de Facebook. Cerrar sesión / Cambiar )

Google+ photo

Estás comentando usando tu cuenta de Google+. Cerrar sesión / Cambiar )

Conectando a %s