Literatura Indígena

 
Nossa Casa Ancestral
Em que corpo estás? Estás no ar, no sol, na luz Estás no infinito Estás nos séculos Tão poucos séculos, diante da nossa eternidade E quando nos veremos? Te sinto sempre Na música, no sol, nas águas No calor, no frio, nos ventos Em cada Estado, país ou continente Te sinto sempre meu amor Apesar do que fizeram conosco!
Mostra-me o caminho Mostra-me em sonhos Em cânticos, a nossa libertação.
Intocável é a nossa Casa Nossos filhos cresceram, morreram e renasceram.  Tornaram a morrer Nossos filhos indígenas Quase estão cegos pelo que aconteceu naquele dia Muitos não reconhecem mais a sua mãe Até as costas lhe deram Pouco restou das cerimônias Somente a dança com fé.  E não reconhecem mais a filha do pajé
Lembra-te das cerimônias sagradas Quando banhávamos nus? E que nossos corpos penetravam as profundezas do Planeta Terra? Mergulhávamos e trazíamos  Dezenas de crianças Filhas Dela! 
Mas meu amor Dá–me tuas fortes mãos Leva-me em tuas grandes asas sagradas E dá-me força e poder Porque o implacável Criador Manda-me voltar séculos e séculos E a ele levar a sagrada Raiz da Lagoa Akujutibiró.
A sagrada Raiz? Está coberta de lama endurecida
Pelo peso da opressão dos séculos E minhas mãos indígenas de mulher Ainda estão frágeis e sangram E se ferem nos espinhos dos pântanos!
Tento me esconder na barriga da Mãe-Terra E esquecer nossos filhos Mas vejo Nhendiru chorar  Vejo nossos filhos sofrerem Então… O espírito do mar Uma grande névoa azulada Envolve-me, seduz-me, encanta-me E levanta-me na chama guerreira E faz-me falar, cantar e gritar…
Até que um dia Os nossos filhos mortos, nascidos, e renascidos
Possam relembrar do olhar, docemente,  Da luz envolvente E da tinta de jenipapo Cravada pelo Grande Espírito em nossa cara.

Eliane Potiguara em “METADE CARA, METADE MÁSCARA”

Global Editora, Visões Indígenas editadas por Daniel Munduruku.

 

 

 
Anuncios

Acerca de pacha creaciones nómadas

Una mujer y otras tantas más, artesana, madre, abuela, licenciada en letras y literatura española, una libertaria feminista en permanente revolución...
Esta entrada fue publicada en Uncategorized. Guarda el enlace permanente.

Responder

Introduce tus datos o haz clic en un icono para iniciar sesión:

Logo de WordPress.com

Estás comentando usando tu cuenta de WordPress.com. Cerrar sesión / Cambiar )

Imagen de Twitter

Estás comentando usando tu cuenta de Twitter. Cerrar sesión / Cambiar )

Foto de Facebook

Estás comentando usando tu cuenta de Facebook. Cerrar sesión / Cambiar )

Google+ photo

Estás comentando usando tu cuenta de Google+. Cerrar sesión / Cambiar )

Conectando a %s